Browsing articles tagged with " Jean Mello"

Minhas raízes estão firmes como as de um Baobá

Nov 28, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Por Jean Mello

Sarau do Projeto Raízes no Museu da Imigração. Foto: Isidro Sanene

Sarau do Projeto Raízes no Museu da Imigração. Foto: Isidro Sanene

Não conheço profundamente a literatura africana e os aspectos históricos que comprovam o quanto essa cultura influenciou a nós brasileiros. Eu disse que não conheço os detalhes, mas tenho noção do impacto que tudo isso gerou em minha vida enquanto escritor.

Não me culpo por isso – digo a respeito de não saber quase que na totalidade – mesmo sendo um escritor, um jovem intelectual à beira dos 33 anos de idade.

Por que me culpar por não saber na completude se apenas recentemente a “Coleção Geral da História da África” foi traduzida para o português? Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Antítese do Mito da Caverna

Oct 12, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Contos, Crônicas, Poesias  //  No Comments

coruja

 

a toca da coruja

é a antítese do Mito da Caverna Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

O acender das velas

Apr 4, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Vídeos  //  No Comments

Intouchables (Intocáveis),  filme francês. Um dos mais sensíveis que já assisti. Não tenho palavras para descrever. Compartilho o release oficial.

Considerado um fenômeno mundial, ´Intocáveis´ traz a história de um aristocrata que contrata um jovem para ser o seu cuidador após um acidente de parapente, o que o deixou tetraplégico. O que era para ser um período experimental, acaba virando uma grande aventura. Amizade, companheirismo e confiança são os elementos que transformam esse filme tocante e inesquecível.

Parte da trilha sonora é composta por músicas de Ludovico Einaudi, brilhante músico italiano, que mistura música clássica com elementos de cultura africana, folk e rock.

Assim como a música dele, ricos são os recursos audiovisuais. Nunca havia experimentado essa sensação de conexão com questões ainda mais elevadas. Instrumental preciso, fala muito mais que as palavras cotidianas ouvidas no calor das emoções. Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Ares milenares

Mar 25, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

6a555a0574f04b83fda5787c963556c2

Ao fundo, várias imagens me remetem aos ares milenares dos mundos. Em minha frente, veículos passando, não apenas particulares, mas públicos, demonstrando que, realmente, os movimentos da cidade não cessam.

Ar poluído, registrei algumas poucas árvores restantes da selva que, hoje em dia, se transformou em puro concreto.

Barulhos metropolitanos, pressa. Gente que quer chegar rápido, mais depressa que a velocidade do tempo escravizante e, ao mesmo tempo, necessário para nos situar quando o assunto é a infinitude de nossos dias. Somos demasiadamente humanos, nos dando ou não conta disso.

Sou de uma cidade cortante, mais que a espada. Hostil, não receptiva, em que, isolados, caminhamos em meio à multidão. Não foi sempre assim. Agora é…

Olhando no relógio ou celular, de minuto em minuto, para não se atrasar nas dezenas de compromissos em um só dia. Mesmo predatória ela, nossa cidade, é bela. Linda, atrativa ao cair da noite. Cartão postal para o mundo. Gostando ou não, o charme arrogante de São Paulo conquista até quem odeia o trânsito; as pessoas esbarrando umas nas outras nas ruas; o transporte público caro e lotado; a falta de respeito pelas crianças pobres; os idosos que não encontram solidariedade por parte dos mais novos.

Registro, em minha memória, a imagem que inaugura esse pequeno texto, conto ou crônica. Não quero que ela se apague. Mantenho minha sanidade e busco disseminar o momento eterno.

 

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

“Fim de Tarde” no sarau do Suburbano

Mar 17, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog  //  No Comments

Um vídeo, registrando minha participação no sarau do Suburbano Convicto, em dezembro do ano passado, já havia sido divulgado em meu site. Agora, para minha surpresa, outro material. Meus sinceros agradecimentos para DGT Filmes e ao Alessandro Buzo, pelo fortalecimento e pelo valor que dão ao meu trabalho.

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Fim de Tarde na Casa das Rosas

Jan 22, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Casa das Rosas

Em setembro de 2015, exatamente no dia 13, tive a alegria de participar da Feira de Publicações Independentes, organizada pela Casa das Rosas, em São Paulo.

Fanzineiros, quadrinistas, livreiros, editores de pequenas e médias editoras, multiplicidade e riquezas culturais.

Agora, em fevereiro de 2016, exatamente no dia 16, voltarei à Casa das Rosas. Lançarei nesse espaço o livro “Fim de Tarde”.

A livraria virtual Inspirando Sonhos já está funcionando e mandando literatura de qualidade para todo Brasil. Mas nessa oportunidade haverá o lançamento oficial.

Roda de conversas, trechos da obra, responderei perguntas sobre o livro e falarei sobre minha trajetória como escritor e educador.

Sem muitas palavras por aqui, apenas informações pontuais. Desejo te ver pessoalmente para compartilharmos esse ilustre momento.

Evento: Lançamento do livro “Fim de Tarde” e da livraria virtual Inspirando Sonhos
Local: Casa das Rosas
Endereço: Avenida Paulista, 37 – Bela Vista – São Paulo, SP.
Horário: A partir das 19h00

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Existe algo mais poético que a lua?

Jan 3, 2016   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Manifeste-se

Sarau de Lua Cheia… Microfone aberto, alma livre, ambiente inspirador.

Paisagens, muitas fascinantes, outras, apesar de belas, já naturalizadas. Estou acostumado a escrever sobre o sol, principalmente do que ele transmite quando nasce ou se esconde. Mas existe algo mais poético do que a lua?

São metáforas que se apresentam das formas mais inusitadas, exalando simplicidade e complexidades existenciais, de humanidade, não tão bem observadas por nós que somos chamados de racionais.

Mergulhados em avanços tecnológicos. Aplicativos para todos os gostos e necessidades imediatas, ou imediatistas, são criados todos os dias por equipes geniais. Milhões de pessoas em redes sociais, conectados diariamente por intermédio de uma comunicação rápida, voraz e, dependendo de quem acessa, líquida. Ainda falta poesia em nossas veias.

Não estou em um pedestal de verdades inquestionáveis, são apenas reflexões de um cronista poético, vivo, mais que nunca, em um tempo em que as pessoas não se olham no olho, a não ser por intermédio das telas.

Leitura do Livro

Em 2015 estive em lugares especiais, com pessoas muito sábias. Em um desses ambientes poéticos, fui convidado a participar do Sarau de Lua Cheia em São Caetano do Sul. Pela forma que fui chamado já sabia que seria um marco em minha recente carreira como escritor. Mas não sabia que seria tanto.

Na Estação Brasil – Casa de Arte e Cultura acontece, uma vez por mês, o sarau. Simplesmente apaixonante. Microfone aberto para manifestações artísticas. Eu com meus poemas, Nei Nascimento com a música.

Crianças

Algo que me chamou atenção, e que falei insistentemente, até de maneira chata, foi a presença de famílias. Crianças, adolescentes e adultos. Não apenas uma faixa etária. Liberdade, crianças correndo enquanto os adultos recitavam poemas ou cantavam Clássicos da Música Popular Brasileira. Abrimos e fechamos o sarau com a música do MPB4, A Lua.

Pretendo participar de outras edições. A próxima vai acontecer no dia 23 de janeiro, perto de meu aniversário. Quero te convidar. Vamos?

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Páginas:«1234567...30»

Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.