Browsing articles tagged with "Arquivo de Injustiças Sociais - Página 2 de 3 - Jean Mello"

Uma singela homenagem…

Mai 21, 2014   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Palavras mobilizando pensamentos e atitudes. Faz tempo que chamo atenção a este detalhe neste veículo de comunicação.

Lógico, não temo em ser repetitivo, “a leitura de mundo, precede a leitura da palavra.”

Citação muito usada por educadores ou apaixonados pela educação. Alguns utilizam apenas por ser uma bela frase de efeito. Limitar-se a isso, é deixar de lado o universo de possibilidades que esta máxima nos permite.

Escrevo palavras lendo o que vejo no mundo. Sem ler a realidade a minha volta, não teria condições de ser um cronista, um simples cronista, do cotidiano.

Confesso que, assim como o Frei Betto (talvez ele tenha dito isso em seu livro intitulado A Mosca Azul), sou compulsivo por ler e escrever. Mas conheço um pouco dos efeitos das palavras. Eu mesmo sou fruto delas, e as uso para fazer com que um pouco mais de pessoas vejam de perto as injustiças sociais.

Chamas de esperança em dias de luta, de miserabilidade humana, egoísmo à flor da pele, individualidades. Poemas não apenas guardados em minha gaveta. Tesouros e mais tesouros em poucos cofres, enquanto milhões de pessoas clamam por um pedaço de pão.

Como ficarei em silêncio? Conheço muita gente que preserva em seus desígnios fome e sede por justiça.

Ainda está vivo em meu peito, quem sabe também no seu? Sim, meus cabelos estarão grisalhos e ainda falarei, pelos lugares que percorrer, versos em prol da liberdade. Vamos juntos?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Tempos de escola…

Abr 26, 2014   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

Educacao

Esqueça, por enquanto, os indicadores e o esforço das políticas nacionais em criar mecanismos de avaliações para medir a qualidade da educação neste amplo território.

Jogue fora, depois você pode até revirar a lata de lixo procurando os métodos de ensino de apostilas, até porque você será cobrado exatamente por isso, os “conhecimentos” condicionantes para o vestibular, quantos alunos entraram na Universidade de São Paulo é o que vale para definir o que é uma boa escola. Mas na verdade não é isso. Alguém inteligente pode nem ter diploma.

Essas técnicas de nada servem quando seus chamados alunos chegam com perguntas acerca da vida, sexualidade, existência… posso ver, em infinitas situações, as indagações dos educandos barradas para que o cronograma, o programa, as imposições de treinamentos, as violências neoliberalistas, para encaixar o sujeito nas normas já estabelecidas, sejam cumpridas, sanadas.

Nem é disso que mais lembramos como coisas boas no ambiente escolar. Tá, o chato às vezes é necessário. Mas tem mesmo que ser a única e insistente opção?

O que é mais importante, se relacionar com as pessoas a sua volta ou os conteúdos que devem ser aplicados?

Lembre-se de como você mesmo era na escola. Hoje, os comportamentos cobrados eram exatamente os que você preservava em seu coração em abundância. Poxa, virou professor e se esqueceu de como você era quando aluno? Leia mais >>

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

O sonho de Luther King não virou pó!

Out 19, 2013   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments

martin-luther-king

 Ainda vivo, permanece nas atitudes e pensamentos de militantes, culturais ou políticos, mas, também, espirituais

Como construir sonhos sem citar Luther King? I Have a Dream… O sonho dele não virou pó, ainda vivo está em corações que não querem mais ver o quase eterno triunfo das injustiças.

O sonho dele não virou pó diante dos que não perderam a alma, sem esquecer a consciência pura em qualquer esquina por aí.

Em dias em que a tempestade, o dilúvio das desigualdades sociais, invade casas pobres e ricas, vencidas pela solidão depressiva, da falta ou da culpa, ainda restam as palavras do pastor batista.

King_Jr_Martin_Luther_093.jpgNão se trata de mais um costume, ideologia, importada lá do norte do mundo como algo perfeito, que não precisa ser revisto. Aqui no Brasil o sonho de Luther King não será ofuscado pelas neblinas da opressão. Ainda vivo, nas consciências e inconsciências, mesmo as que são repletas de medo do amanhã.

Nelson Mandela entra no escopo, nos ensinou a não aceitar de cabeça baixa o que querem impor aos negros de qualquer lugar do mundo.

O que eu diria se hoje em dia encontrasse Rosa Parks?

Teria palavras para dizer para Abdias Nascimento?

Duvido que tenho um terço da garra de Malcom X

Temos de aprender a vencer o ódio, mesmo carregando o peso certo da hostilidade, como fez Ruby Bridges.

Valeu Mano Brown, Edi Rock, KL Jay e Ice Blue!

Ainda bem que tive a oportunidade de conhecer Sueli Carneiro, Cida Bento e Hédio Silva Júnior.

Jesus Cristo, lutando, em cada trecho dos evangelhos, contra qualquer tipo de opressão. Certeza, seus comportamentos eram calcados em negritude de consciência ímpar. Suas palavras, principalmente as das parábolas, devolvia a sanidade aos que estavam acreditando serem tomados pela loucura. Ainda bem que os loucos confundirão os sábios. 

Quando todos esperavam que a festa acabasse, transformou a água no melhor vinho já visto.

Com alguns pães e peixes alimentou a multidão.

Chorou diante da incredulidade de todos, e perante o túmulo de seu amigo, mesmo sabendo que depois de alguns minutos faria um dos milagres mais conhecidos. Mesmo assim, na beleza de seu lado mais humano, repito, chorou.

Caminhou com os excluídos, sempre ao lado dos pobres e não compactuando com os deuses de carne e osso que ditavam as regras alienantes e usavam os templos para tirar o melhor das pessoas, prometer e não entregar.

Com os pés fincados nas periferias não tinha sequer um lugar para reclinar a cabeça.

Pendurado no madeiro e, depois de anos, mesmo com seus ensinamentos distorcidos, nada virou pó.

Sim, olhando para as raízes de Cristo Jesus, o Deus desconhecido, Luther King grita para multidão: I Have a Dream. Isso não tem como escoar pelos ralos da enganação ou do ilusionismo que faz o povo andar e não sair do lugar.

Permanece nos pensamentos dos trabalhadores que vão pegar, todos os dias, o busão lotado.

Tá no Rap cantando aos montes nas quebradas.

Está na vida de quem corre atrás não apenas do pão, mas da palavra. Também não qualquer palavra. Não virou pó, ainda vive!

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Palavras (Violão e Voz)

Mai 18, 2013   //   by Jean Mello   //   Blog, Músicas  //  3 Comments

Apenas meu desejo de ver um mundo melhor. Pode ser pra você, para os que estão perto ou longe de mim, para cada ser humano. Isso resolvi expressar em uma canção que há tempos compus. Mas, ao invés de esperar o processo de produção de meu primeiro disco, algo que caminha com o passar dos dias, sem a pressa ansiosa ou alienante, gravei, junto com minha esposa, um vídeo, violão e voz.

Confira a letra…

Quantas palavras em vão

Tanto mal sem razão me espera encontrar

Muitas vidas sem direção hoje em dia posso enxergar…

Só me resta gritar por ajuda

E torcer pra chegar

 

Quando o trauma passou

Pude os olhos abrir

Quanta vida se foi?

 

Eu só quero viver em paz

Em um novo tempo, um outro lugar…

Só preciso viver em paz

Ver um mundo melhor…

 

Quantos passos nas ruas,

Para romper com o vazio e a solidão

Teu olhar não me engana

E sei que há solução

Só queria abrir os olhos e ver um mundo melhor, diferente

Ter motivos para sorrir

Quanto tempo ainda terei de chorar?

Um mundo melhor…

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Os loucos confundirão os sábios…

Set 30, 2012   //   by Jean Mello   //   Blog, Músicas, Poesias, Vídeos  //  2 Comments

“Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” (Mateus 11.28-30)

“Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens.
Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados.
Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes;
E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são;
Para que nenhuma carne se glorie perante ele”.
1 Coríntios 1:25-29

Sim, é também o anuncio extremo do evangelho de Cristo. Relacionamos (eu e Bianca Mello), essa música com muitos capítulos e versículos da Bíblia. Deixe de lado o preconceito e preste atenção se a letra tem alguma ligação com essas palavras ditas por Cristo e Paulo.

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Carandiru – O Massacre ainda não terminou

Ago 16, 2012   //   by Jean Mello   //   Blog, Entrevistas, Vídeos  //  No Comments

Fonte: Mães de Maio

 

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Documentário Mães de Maio: Um grito por justiça

Ago 6, 2012   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Entrevistas  //  No Comments

A impunidade ainda paira sobre as mortes de 493 pessoas, ocorridas em maio de 2006, a maioria pobres, negros e moradores da periferia. Todos os indícios apontam para uma ação efetiva de grupos de extermínio da polícia como forma de retaliação aos ataques do PCC naquele ano. As mães e familiares dessas vítimas de violência policial se uniram em um movimento chamado “Mães de Maio. São mulheres que transformaram a dor da perda na luta por justiça e hoje buscam um reconhecimento da sua causa para que o Estado não tire mais vidas em vão. O projeto trata da luta dessas mães e das circunstâncias e consequências da violência do Estado, e busca soluções.

Fonte: Mães de Maio

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS
Páginas:«123»

Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.