Universo Particular

Jun 6, 2012   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas, Vídeos  //  10 Comments

Meu universo quase particular… Um som difícil de explicar… Um vocalista jovem que se esforça pra alcançar o tom necessário em algum refrão que exige um pouco mais de fôlego.

Mesmo assim vejo beleza… Confesso que chorei, senti o Cristo que busco. Aquele que não  julga segundo os preceitos de intolerância de alguns templos evangélicos. Mesmo em meio aos erros mais graves. Ele nos olha, demonstrando um amor impossível de expressar.

Sentimento, não emoção. Aquilo que sinto na derme da pele, que me acompanha todos os dias. Nesses momentos tenho a certeza de que nem tudo está perdido.

Choro que é de alguma esperança que surge de mãos dadas com a liberdade.

Liberdade genuína que não está descrita em nenhum dicionário. É estranho defender a existência de alguma conceituação que não esteja enclausurada em alguma gaiola acadêmica, em um slide qualquer.

Chegou a hora… Algo que ninguém contava, ver algum som classificado como gospel dizer algo que transcende as barreiras de uma instituição qualquer. Quanto ao Fruto Sagrado, não é a primeira vez que diz.

Desde 2006 ouço essa banda. Já devo ter citado eles por aí, em alguma conversa informal, talvez em alguma frase ou vídeo divulgado em uma das redes que participo. Bem provável que em um dos meus artigos nesse site. Não quero que exija tanto assim dessa memória jovem. Tenho compartilhado tantas coisas pela blogosfera, a ponto de receber mensagens de críticas, sugestões ou qualquer outra coisa, de pessoas até de outros países, que hoje em dia, tem de ter algum esforço pra sistematizar o que está disponível nesse endereço.

E nisso não tem nenhum mérito. Consiste em algo particular, um universo apenas meu, em que procuro buscar um Deus que seja o mesmo Deus que amou o jovem rico com a  incondicionalidade que amou Pedro. Externalização desse universo particular seria a definição correta para as coisas que aqui publicadas estão. Depois de compartilhadas, às vezes, passa a fazer parte da particularidade de alguém.

Não estou preocupado se Vanjor tem a mesma experiência de Marcão. O que me importa, e o que deveria ser interessante para os verdadeiros amantes do rock, é se qualquer integrante, de qualquer banda cristã, tem o coração de criança. Com isso não digo que essa nova fase da banda carioca é imatura. Ao contrário, os antigos integrantes arrumaram uma forma de continuar compartilhando a densidade das letras e sons, ao mesmo tempo, trazendo o vigor jovial à tona. Afinal de contas, juventude não significa necessariamente inexperiência. O novo vocalista me emociona.

Óbvio que Distorção, O que na verdade somos ou outros trampos da banda revelam qualidade imensurável. Mas foram fases diferentes, nem tem como comparar.  Não precisa de muito pra saber… Os caras demoraram anos pra gravar as coisas que colocaram a público. Falar que um é melhor que o outro é no mínimo imaturidade. Não sabe em que consiste qualquer sentimento que esteja estritamente ligado a musicalidade. Vanjor, talvez junto com o baixista novo, Lucas, se não me engano, tornaram-se os frutos mais recentes.

Frutos bons… Músicas que me fizeram perceber como Deus chega perto de modo inovador. Ainda mais, deu para ver a completude dos antigos músicos do Fruto, multiplicidade. Os caras conseguem tocar com peso ou algum som mais leve, sem perder em nada a qualidade.

Vanjor, desenvolvendo-se ainda mais em seus agudos – em minha modesta opinião é o que mais tem de beleza em seus vocais -, aos poucos, vai encontrar seu lugar na história da banda. Somado com trabalho comemorativo de vinte anos, que teve alto nível tanto nas faixas conhecidas quanto nas inéditas, o novo vocalista está colocando seu ritmo nessa longa empreitada. Começou muito bem…

Logo eu que percorria as lojas quando me chegava a notícia de que um novo som do Fruto surgiu. Nem me preocupava com o preço. Chegava e comprava! Exatamente quando recebia o salário… Vários sons, faixas com a complexidade que nunca antes ouvi.

Atualmente o que me chama atenção não é nem a genialidade dos integrantes em inovar. Quem acompanha a banda sabe que isso eles sempre fizeram. Algo que facilmente chamo de coragem. Bancar o que eles bancaram, em mais de vinte anos, é coisa de quem realmente está comprometido com transformações.

Só que esse novo projeto de disponibilizar as coisas em “tempo real” pelo site me deixou mais feliz que procurar os trampos pelas avenidas de São Paulo. Parece até os ricos textos do ‘Caião’ que leio de graça.

Mesmo as bandas mais conhecidas do seguimento do Fruto  não falam com a contundência deles, salvo alguns raros episódios.

Livres são os que estão empunhados de guitarras, com algo de liberdade em mente, anunciando a não violência, com a mesma garra de Jimi Hendrix. Se estranhar, te dou a oportunidade de perceber a mensagem.

Quem não enxerga isso ainda não sabe o que é evangelho. O mundo está adormecido e os que estão conscientes choram. Os que choram serão consolados.

Gente que ama o evangelho gosta de simplicidade. Singelo como esse vídeo abaixo, em um encontro de jovens, na casa de alguém, sem efeitos, apenas sentimentos…

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Comentários Facebook

10 Comments

  • Grande brother Jean, gostei D+ do texto. Um relato ímpar sobre uma grande banda que eu particularmente sou suspeito.
    Bom, eu acompanho a banda desde 95(eu tinha uma fita k7 com dedicatória do Marcão, do albúm de 97, tô véio…kkk) e como você descreveu, a banda veio mesmo em escalas de qualidade de albúm para albúm sem perder origianlidade, mantendo uma tradição e colocando inovações sem deixar a peteca cair.
    Deixo aqui para complementar o seu texto uma das músicas do albúm de 97 – O que a gente faz, fala muito mais doque só falar:

    "Music! Music! Dom de Deus para os homens;
    Música… arte que ultrapassa seus limites!
    Music! Music! Essencialmente essencial!
    Música… a mágica do som!"

    Abraço!

  • Cara, realmente muito bom o texto. Sou muito fã do Fruto desde nem sei quando. Foi uma das primeiras bandas de rock cristão que conheci e até hoje é uma das minha preferidas, então também sou muito suspeito pra falar, rs.
    Ainda não tinha ouvido o som deles desde saída do Marcão. Não da pra fazer uma comparação entre Marcão e o novo vocalista, como você mesmo disse, são fases diferentes, mas depois de ouvir essa musica (que me fez ficar emocionado), tenho certeza que o Fruto ainda tem um grande futuro pela frente e eu vou continuar sendo muito fã deles. :-).
    Novamente parabéns pelo texto.

    Um Abraço
    Fica com Deus.

  • […] um Universo Particular. Abertura de uma realidade que não é qualquer coisa. Intimidade da criação… Nisso a obra […]

  • […] Universo Particular […]

  • Simplesmente Simples. Legal. Fui um dos que mais bateu' contra a saída do Marcão. . . mas o Vanjor está desempenhando um papel lindo, foco na simplicidade. Bons Frutos. . .

    • Vanjor esta surpreendendo. Mostrando competência cara.

  • […] Universo Particular […]

  • […] Enquanto isso, nas telas não apenas televisivas, os sorrisos vão dizendo o que muitas pessoas acreditam ser verdade. Não apenas quem assiste crê. Muitas vezes quem transmite também se entrega às fantasias. “Iludidos com aplausos e elogios, com um pedestal”, como bem diz o Fruto Sagrado. […]

  • […] Universo Particular […]

  • […] Universo Particular […]

Leave a comment

CommentLuv badge


Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.
Email
Print
Read previous post:
Mudando os paradigmas na Educação

http://youtu.be/EDLp6_5vCM8

Close