Caminhos cruzados… O que foi 2011 pra mim?

Dez 30, 2011   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  1 Comment

 

Ano de parcerias, participando de um pedaço da história. Promovendo comunicação que a velha mídia, aliançada com os donos do dinheiro e do poder, não proporciona às pessoas. Resta apenas aos que estão utilizando a internet para algum fim não apenas crítico, mas que ultrapasse a barreira da criticidade, chegando às proposições, fale algo para quem já está cansado de ver notícias montadas e compradas. Quem tem que dizer algo somos nós mesmo, através dos meios que temos. 

Um ano de muito trabalho e novas parcerias que contribuem para a continuidade e maior alcance dos escritos e outros tipos de produções culturais. Uma delas que nesse ano nasceu e teve milhares de acessos foi esse site, JeanMello.Org.

Uma ferramenta virtual que inspira ações presenciais de Comunicação Comunitária e consultoria pedagógica, que vem acompanhada de uma infinidade de ações educativas que desenvolvo e de outros educadores que usaram alguns dos posts em salas de aula – em menos de um ano temos mais de cinquenta textos publicados, todos direcionados a contribuir, de modo informal e livre, para que os que nos acessam saibam que a educação pode ser informal, mas, de modo algum não profunda.

Ano em que pude vislumbrar um processo comunitário com jovens do Centro Comunitário Castelinho, Vila Joaniza, zona sul de São Paulo. Não dá para mensurar tudo que lá aconteceu. Podemos ao menos acompanhar alguns relatos de coisas que eles consideraram principais em menos de três meses de projeto. O presencial que dialoga com o virtual e vice-versa. Em breve escrevo um artigo sistematizando importantes aspectos desse processo.

Tempo em que em crônicas ao Baoobaa Cultural pude me expressar para promoção da Igualdade Racial. Projeto que nasceu exatamente no dia 20 de novembro de 2010 e agora, em 2011, ano Internacional para os Povos Afrodescendentes, já tem muitas boas histórias para contar e momentos de dificuldades – algo que se acentua para quem resolve de algum modo combater o racismo no Brasil. Em algum lugar disse que juventude não significa necessariamente inexperiência. Sem dúvida isso se aplica a família Baoobaa. Equipe jovem que faz um trabalho de grande qualidade. Com certeza em 2012 vêm novidades por aí.

Através da virtualidade também nasceu a parceria com o blog coletivo e colaborativo Outras Palavras, que não se restringe a pessoas que escrevem no mesmo espaço, mas, visa promover, através de encontros presenciais, um jornalismo profundo que a velha mídia, afogada em compromissos com os donos do dinheiro e do poder, nem sonha em tocar no assunto. Por esse motivo é, em minha modesta opinião, uma Escola Livre de Comunicação Compartilhada.

Sabendo que Outras Palavras reúne uma gama de projetos, sei da responsabilidade em fazer parte do grupo de colaboradores do site que está entre os dois mil do Brasil que mais têm audiência. Nem é apenas por isso, mas também, por  esforçar-me para acompanhar a qualidade dos conteúdos produzidos e buscar estar nessa mesma pegada. Por lá cubro as temáticas que envolvem a cultura afro-brasileira. Difícil missão em um país que ainda não se considera racista. É o florescer de uma cultura vinda do continente africano que é diluída, apenas retratada de forma folclórica, exótica, quando na verdade seu valor é imensurável.

Membro do grupo gestor do AfroKut. Quanto mais o tempo passa mais as pessoas entendem que internet é mídia e uma das formas de propor outras formas de comunicação. Essa rede hoje em dia ultrapassa o número de cinco mil membros e coloca a afro-brasilidade em destaque. Faça parte dessa rede, ela também não apenas questiona qualquer manifestação eurocentrista, vai além, provocando as pessoas a ter qualquer visão afro-centrada, olhando para o continente africano, e vendo o movimento constante que acontece naquele universo de países, que hoje em dia soma 54, como berço da civilização. Outra riqueza é a relação dessa cultura com o que acontece em outros lugares do mundo, principalmente no Brasil.

Separo algumas de minhas principais postagens nesse ano. Lógico que aqui o espaço é livre para, inclusive, propor novos conteúdos e não ficar apenas nesses que estou separando. Que você perceba que as coisas que para trás ficam não apenas ficam como algo que já passou, e sim fica como forma de marcas. Considero as parcerias como marcas que vão ensinando. Por esse motivo, coloco textos que publiquei por aí, na blogosfera. Os que aqui estão você mesmo pode fuçar e separar o que mais lhe interessa. Que venha 2012!

 



Um dos Caminhos para Mobilização: História Geral da África

 

Por uma infância sem racismo

Arnaldo Jabor engrossa a ciranda da intolerância racial

Cabelos Grisalhos


Related Post

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Comentários Facebook

1 Comment

Leave a comment

CommentLuv badge

Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.
Email
Print
Read previous post:
“Por uma educação informal”

  Muitos escritores que escrevem de maneira mais livre e aparentemente descompromissada, por não seguir certas regras acadêmicas, não por...

Close