O Mundo É Um Moinho

Dez 24, 2015   //   by Jean Mello   //   Artigos, Blog, Crônicas  //  No Comments
Crédito da Imagem: Odair Silva Video & Fotografia

Crédito da Imagem: Odair Silva Video & Fotografia

Quando o ano começou não sabia que iria publicar dois livros. Ter originais nas gavetas físicas ou da imaginação, não quer dizer que venham a público um dia. Mas isso aconteceu comigo, pelo menos em partes. Coisas que escrevi foram publicadas.

Não foi sempre assim. Aliás, na vida, coisas inusitadas acontecem. Quando disseram que ela é semelhante a uma roda-gigante, uma hora você está lá em cima e outra sob todos os mortais, acertaram em cheio. Esse é mais um dos motivos pelos quais não se deve desprezar nada ou ninguém.

Esse texto de fim de ano é bem diferente dos que postei na mesma época em anos anteriores. Ele não é um balanço de resultados alcançados ou da felicidade que sinto. Esse escrito é, simplesmente, a marca de alguém que insiste em ir na contramão da história, contrariando as estatísticas, sempre.

Ainda com a certeza no coração de que palavras de sabedoria não saltam apenas das pesquisas acadêmicas exaustivas, mesmo as competentes. O mestre Cartola não me deixa mentir. Quando dita os versos da bela canção, O Mundo É Um Moinho.

Ainda é cedo, amor
Mal começaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora de partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar

Preste atenção, querida
Embora eu saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és

Ouça-me bem, amor
Preste atenção o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó

Preste atenção, querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com os teus pés

Um cronista poético. Nesse fim de ano meu desejo é que você possa sempre dar asas aos teus sonhos, assim como dou aos meus.

Related Post

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • Digg
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Comentários Facebook

Leave a comment

CommentLuv badge


Colabore

Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 2.5 Brasil.
Email
Print
Read previous post:
No sarau do Suburbano encontrei força poética…

Circulando pelos becos centrais de Sampa. Andando, como cronista de um tempo bom para disseminar palavras de conscientização poética, mesmo...

Close